CIRURGIA BARIÁTRICA - A DECISÃO





Depois de tanta luta com a Balança e "sentir na pele"  os sintomas dos quilinhos a mais, não aguentava mais todas as dores e mal estares da alma às humilhações constantes impostas pela Sociedade hipócrita ditando padrões de beleza e, pessoas que faziam (e fazem questão) de te massacrar. Em um dado momento, o corpo não suporta e aí começamos a adoecer. 
Esquecemos literalmente o conceito de saúde: "SAÚDE É UM ESTADO COMPLETO DE BEM-ESTAR FÍSICO, MENTAL E SOCIAL, E NÃO APENAS A AUSÊNCIA DE DOENÇAS" (OMS).
Chegou a hora de repensar minha vida como um todo. Levou um tempo para amadurecer a ideia, de encarar a cirurgia de redução de estômago. 
Repensei cada item do conceito de saúde citado acima: SAÚDE = BEM ESTAR FÍSICO. Nesse quesito, fisicamente não estava nada bem. SAÚDE = BEM ESTAR MENTAL E SOCIAL. Mental e socialmente, não estava bem. Estava ferida emocionalmente. E quanto mais mexiam na minha ferida, me machucavam de tal forma que fui afundando cada vez mais. 

"A verdadeira felicidade é impossível sem verdadeira saúde, e a verdadeira saúde é impossível sem um rigoroso controle da gula." 

(Mahatma Gandhi)


Foi aí que decidi procurar minha endocrinologista, Dra. Carla Siqueira. Há anos havia tentado várias formas de tratamento e não adiantava mais. Tinha chegado a hora de tomar uma decisão importante: Cirurgia de Redução de Estômago. 
A Cirurgia de redução de estômago, é o tipo de cirurgia que não podemos decidir sozinhos. Após a consulta com a endocrinologista, cheguei em casa e conversei com meu esposo sobre o assunto. Conversamos sobre todos os pontos importantes como a escolha do médico à técnica utilizada; ao apoio (suporte familiar) à recuperação (como por exemplo, o tempo de estadia no hospital ao tempo de recuperação propriamente dito). 
É muito importante conversar com pessoas que já fizeram a cirurgia para colhermos informações a respeito do pós-operatório.

A DECISÃO - A HORA DE IR AO MÉDICO

Decidida em ir em busca da saúde propriamente dita, fui ao médico: Dr. Marco Novaes. No consultório, todas as dúvidas foram esclarecidas. Fiz todos os exames solicitados; consultei-me com uma nutricionista (da equipe médica), psicóloga. 
A primeira data da Cirurgia estava marcada para o dia 05 de Março de 2012.

DATA REMARCADA

"Se eu pudesse deixar algum presente à você, deixaria aceso o sentimento de amar a vida dos seres humanos. A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo a fora. Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem. A capacidade de escolher novos rumos. Deixaria para você, se pudesse, o respeito aquilo que é indispensável. Além do pão, o trabalho. Além do trabalho, a ação. E, quando tudo mais faltasse, um segredo: o de buscar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída." 

(Mahatma Gandhi)


Através da citação acima de Mahatma Gandhi, após o falecimento de minha mãe, no dia 27 de Fevereiro de 2012, não havia condições de entrar em um centro cirúrgico no dia 05 de março de 2012. 
Houve um momento em que pensei em desistir de tudo. Minha cabeça estava a mil ... Me agarrei a doutrina espírita para amenizar minha dor ... Sangrando emocionalmente por todos os lados, não respeitaram minha dor e ainda se acharam no direito de zombarem de mim, da minha doença. Doença, sim! Obesidade é uma doença.
Remarquei minha cirurgia, para o dia 16 de Abril de 2012.

A CIRURGIA

A cirurgia foi realizada no dia 16/04/2012 no Hospital Metropolitano (Vitória/ES), utilizando a técnica de videolaparoscopia onde foram realizados 5 (cinco) furinhos na região abdominal para que o médico e sua equipe pudessem realizar o procedimento. O procedimento realizado em mim, foi o procedimento misto em que há associação da redução do estômago e do comprimento do intestino. Através desse procedimento, há redução da quantidade de alimentos que pode ser ingerida, assim como a quantidade que pode ser absorvida pelo organismo.
Lembro-me que ao entrar no centro cirúrgico conversei com o anestesista e quis saber sobre tudo, principalmente qual o tipo de anestesia e qual a substância utilizada. Dormi e não vi mais nada.
Quando a cirurgia acabou, via vultos e fui acordando aos poucos e mais " cri cri" do que já sou. Monitorei minha pressão o tempo inteiro, pois minha pressão arterial é lábil e ficava oscilando.
Assim que fui levada para o quarto, tornei-me mais que uma paciente impaciente e exigente em relação a equipe da enfermagem. Tive a sorte de ser acompanhada na primeira noite por um técnico de enfermagem muito bom e experiente que durante a noite inteira entrava no quarto não me deixando dormir. Tinha cuidado ao ministrar os medicamentos prescritos pelo médico. 
O apoio, presença, carinho e a paciência do meu marido estão sendo muito importantes nessa fase de recuperação. Desde o início do processo tive o maior apoio do meu marido e alguns familiares e amigos., e isso é muito importante. 

PÓS-CIRÚRGICO EM CASA


É muito bom poder estar em casa ! E agora o que vou comer? 
Na primeira semana é uma tortura. Enquanto todos saboreiam seus alimentos em pratos fartos e convidativos, meus olhos compridos fugiam da mesa. Apesar da beleza do prato e perfume do alimento, o cheiro de comida me dava náuseas. A cada 30 minutos tinha que tomar água, água de coco, caldinhos ralos e coados de verduras em um copinho de 30 ml (1 copinho de café). Essa é a primeira semana.
Na segunda semana, a coisa já começou a melhorar. O caldinho agora vira sopinha batida no liquidificador com algumas verduras e a carne ou frango podem ser batidos juntos, sem a necessidade de serem retirados.  A introdução de frutas batida com aveia em forma de vitamina é muito bom. Para mim, a primeira vez depois de tempos sem tomar vitamina de banana com leite desnatado foi o maior suplício. Pensei que fosse devorar tudinho. Nem aguentei tomar dois goles. O primeiro gole mesmo sem adição de adoçantes (que pode ser utilizado), não descia, pois achei muito doce.
Vixe! Quando em minha vida eu ia rejeitar um doce???
Todos os dias, olhava meu cardápio rezando para chegar a terceira semana, pois nesta 3ª semana, já é permitido a ingestão de carne moída, frango bem desfiado ou peixe de escama cozido bem desfiado. 
Entrei na quarta semana, entrando para a quinta semana da dieta pós-cirúrgica  e ainda não consegui comer carne moída, frango desfiado ... Quando a comida entra pela boca e passa pelo esôfago, sinto uma dor muito grande. É como se faltasse ar, ou dor no coração.
Segundo o médico, isso é normal, mas tem que comer, tentar mastigar o alimento, pois o organismo está reaprendendo a comer.
O pior nessa fase, é o inferno astral com a "BABA DE ALIEN, O 8º PASSAGEIRO". Tudo que se bebe ou come, cria uma "baba", uma gosma grossa que é de arrepiar. Conversando com amigos que fizeram a cirurgia bariátrica, dizem que isso é normal e que passa num dentro de uns 45 dias a contar da terceira semana da dieta pós-operatória.
No dia 16/05/2012 fará 1 mês da cirurgia. Nesse mesmo dia, tenho consulta com o médico e com a nutricionista. Vamos ver quais serão as próximas orientações.












5 comentários:

  1. Querida,
    Parabéns pela coragem de expor o sofrimento pelo qual tanta gente passa calada. Não considere a tal baba de alien como inferno astral porque nada é inferno, mas céu. Tudo faz parte como aprendizado e oportunidade de socializar o pós cirúrgico com outras pessoas que também foram submetidas à cirurgia e não estão sabendo como lidar com os pequenos incômodos.
    Achei bacana a ideia de escrever na net porque pode ajudar a muita gente.
    Boa sorte e se recupere rápido.
    PAZ & LUZ

    ResponderExcluir
  2. Sílvia, eu estou sabendo agora sobre a sua cirurgia. Deduzi que irias fazer, quando no fac, em fevereiro você colocou alguma coisa se referindo a internação. Depois veio o falecimento de sua mãe e achei mesmo que tinhas desistido, ou dado um tempo ao procedimento.
    Espero que tudo corra maravilhosamente bem e que você se sinta mais feliz do que já é, com a nova silhueta que certamente desenhará seu corpo. Agora, seus verdes olhos, brilharão mais ao se olhar no espelho, podes crer!
    Itana, uma das filhas de Myriam, minha irmã de criação, fez esta cirurgia aqui em Itabuna, no mês de setembro e está ótima, perdendo peso a cada dia.
    Que Deus lhe abençoe, paciência e siga a dieta direitinho que vai dá tudo certo. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do Blog e estou admirada com sua coragem de se expor.
    Tenha paciência e muita força de vontatde, pois os louros estão a caminho. Acho que no próximo verão não terei coragem de ir ao cluebe com você. KKKK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É duro!!! Na dieta pós 30 dias da cirurgia, foi liberado arroz, bife grelhado, frango ... Hoje, dia 18/05/2012 ao comer uma lasquinha de carne (filé) ao forno, me " lasquei". A Baba de Alien, O 8º Passageiro apossou-se de mim e sai correndo para o banheiro. Até o momento não consegui tomar uma caixinha pequena de Suco Ades. Isto que dizer que o tempo para se tomar um simples suco de caixinha que antes era de segundos, passou a ser de horas.

      Excluir
  4. Amigacom todos os sacrificios,eu digo ao mundo inteiro...Renasci pra vida,é maravilhoso voce olhar fotos de antigamente e ver que voce foi forte,decidida...Sim esta cirurgia não é pra qualquer um,é pra quem realmente sabe o que é uma doença,que somatiza em forma de obsidade e por isto que a Ciencia viu que era possivél realizar uma forma de voltarmos ao normal.
    Obrigada por voce compartilhar aqui.
    Grata.
    Marta A S.Batista -55 anos

    ResponderExcluir